Loading

A Descoberta do Prazer

A Descoberta do Prazer

1993

Sozinho, isolado num mundo distante

Vejo o teu rosto, vejo um semblante,

Chama por mim numa noite longa,

Avança fulgorosamente como uma onda!

Vaga plena de volúpia e prazer!

Que me enche de esperança, faz-me ver,

Ver coisas que se sentem, não são vazias,

Para mim deveras estranhas, nunca vividas.

Que vida esta tão fascinante,

Que me prende, me puxa, me acaricia!

O calor que me preenche...

O toque que me seduz!

Quebra-se assim a escuridão,

Abre-se um mundo de luz...

Luz mágica e intensa,

Ofuscas-me sem querer...

Traz-me de volta o sentimento,

A vontade de viver!

Viver apaixonado,

Sem limites, sem razão...

Presente no teu rosto,

Sem qualquer condição.

Assim a vaga rebenta...

Preenche com espuma o ar...

Banha-me de mansinho!...

Ensina-me a amar...

Que vida esta tão fascinante,

Que me solta, me banha, me ama!

Vaga com corpo de mulher,

Que me cobre e me conquista...

Figura por mim desejada,

Diante da minha vista.

Faz de mim seu amante,

Invade-me por completo...

Rendo-me aos seus desejos...

Entrego-me ao seu afecto!

A tua onda de loucura,

Arrasta-me sem querer...

Entre espuma e salpicos,

Assim descubro o teu ser!...

Juntos vagamos na imensidão...

De mãos dadas contigo,

Aberto o coração!

Que vida esta tão fascinante,

No teu corpo sublime navego, devaneio, sou teu!...




Nenhum comentário


Deixe o seu comentário: